quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Lanches Ueti
















Depois da labuta, cinza!, São Pedro sinaliza mais água nesse janeiro mais que encharcado. O jeito é comer rápido e voltar pra minha suntuosa suíte no Hilton Sheraton Líder em Rio Claro downtown. Depois do previsível e asséptico M amarelo do almoço, quero algo mais da província, mais “pé sujo”. O porteiro do hotel, santa criatura!, dá o mapa da mina: Lanches Ueti, “o melhor sanduba da cidade”. Tenho uma crença ferrenha em dicas de porteiros de hotéis. 

A avenida quase deserta e as instalações ordinárias afugentam os menos aventureiros da gula. Se assusta uns, excita outros, como o parvo e esganado autor destas.

Sem empregados, a família japa trabalha sério. Pelas conversas, identifiquei o nome de três deles: Kyiochi, servindo e cobrando, Nelson, o chapeiro, e Célia, uma faz-tudo. A placa puída revela quase seis décadas de tradição: “Desde 1955”.

Do cardápio enxuto de sanduíches e pastéis, embarco num bauru de calabresa que vem na baguete de 100g (ainda tem a opção do pão de 150g e recheios de carne, frango, pernil e lingüiça de porco).

Para um nativo de Sanja que reverencia o bauru de lombo desde sempre, o lanche dos Ueti deleita, satisfaz e surpreende. O pão é fresco, a calabresa condimentada na medida e retirada da chapa bem antes da secura. Tomate e queijo complementam e honram a liturgia baurueira. E pra beber? Um tal Zé Cadela, popular no pedaço, sorve uma Original enquanto lamenta a morte de um advogado conhecido. O blogueiro, discípulo momentâneo do Rivotril, vai de Coca. E, lindo!, a família Ueti tem o refri nas lendárias garrafinhas de 290ml.

Depois de 100g de pão francês honestamente recheado e 580ml de Coca-Cola, sob o aguaceiro anunciado no primeiro parágrafo, volto correndo pros meus majestosos aposentos, não sem antes agradecer ao bem informado porteiro.

Serviço: Lanches Ueti - Av. 1, 34 – Centro – Rio Claro, SP
Ah!, a Ueti family tem delivery: (19) 3524-3016

4 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Eu aqui com a minha dieta frugal e o escriba me vem com esse acepipe rioclarense. Pelamor, quase inundei a tela - não pelo aguaceiro, mas de tanta água na boca.
Abraços belóquidos.

vanessa.adalto disse...

Lauro, não vou me arriscar nas palavras pra não dar nó na lingua, mas o referido lanche, em todas as versões, é verdadeiramente campeão. Nossa deu água na boca...
Vale experimentar a panqueca do Fernado Lanches e o bauru da Hilda.
Abraços
Saudade
Vanessa

jeferson disse...

Quero discordar da opinião do amigo Lauro: A japa que é "a faz tudo" na verdade é a Cecilia, naquele nebuloso dia (alías foi o unico em 52 anos) vc viu a Célia trabalhando, coisa rara, afinal a especialidade dela e assitir novelas. Justiça deve ser feita, mesmo que tardia. Quanto ao Zé Cadela, todos os chamam também de Zé Au Au, mas ele prefere ser chamado de Sr. José Gracioli.

Jeferson disse...

Às vezes um comentário pode transformar muita coisa, não é que agora a Celia Ueti aguarda a minha chegada no "paraiso do bauru" lá pelas 8 da noite para começar a fatiar o queijo. Ela quer que eu a defenda aqui, mas no momento ainda não posso negar que quem faz tudo realmente é a coitadinha da Cecilia. Se bem que o Kiochi também anda meio devagar ultimamente. Se não fosse o Nelson segurar a barra não sei não.