domingo, 27 de fevereiro de 2011

Macaúba enlatada

DSC00504

Desta vez cheguei na capital portenha com o propósito resoluto de ver o Boca na Bombonera. Pela manhã descubro na calle Florida que ingressos para o setor dos boquenses já estão vendidos para a temporada toda. O jeito é ir para a porta da mítica cancha e tentar comprar de cambista as entradas para a área dos visitantes. O visitante, no caso, é o time do All Boys, que é novo na primeira divisão do futebol argentino. O time do bairro portenho de Floresta tem uma pequena mas fanática torcida.

Sem precisar andar muito, um cambista me aborda e oferece bilhetes por 150 pesos (o preço oficial era 40 pesos). Uma pechinchada e por 240 pesos garanto dois ingressos.

Desconfiado do milongueiro que me vendeu, pergunto a um guarda sobre a autenticidade das entradas. O oficial, um Gardelón dramático, diz que eu fui ludibriado com bilhetes falsos. Mesmo assim ele recomenda aguardar a abertura dos portões.

Catracas liberadas pela tarja magnética, alívio!, absolvem o homem dos bilhetes e condenam o canastrão de farda. Quatrocentos mil degraus separam a rua das arquibancadas visitantes. Suarento ao chegar perto das nuvens, senti o sacrifício físico de um pagador de promessas. A secura era tanta que paguei 12 pesos por menos de 300ml de Coca-Cola. Bebi a gaseosa em 10 segundos.

Imaginei que assistiria ao jogo na companhia de meia dúzia de torcedores do All Boys. Engano. Fui ludibriado pelo meu achismo. O bairro inteiro de Floresta foi ao estádio e, num “conforto enlatado”, ficamos mais de 90 minutos em pé escutando os impropérios espanhóis entoados pela hinchada visitante. “Cancha de mierda”, “Não-sei-que-lá de tu madre”…

No meio dos apoiadores do All Boys, vestimos a camisa e vibramos (e xingamos) muito com eles, eufóricos por resistir à pressão do poderoso Boca num 0 x 0 heróico.

E heróico foi presenciar o meu primeiro cotejo na Bombonera. Experiência única pra quem ama o futebol.

DSC00486

3 comentários:

Nessinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
beto disse...

Nem deu pra ver o olho roxo na foto!!! Gritou pelé lá dentro?!?!

Abraço!

Mas que palavreado rebuscado hein! rrss

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Que aventura porteña! Saludos, escriba.